Atualmente, 54 plataformas fixas e flutuantes operam na Bacia de Campos

Via  Uruaru Jornal Online em 02/02/2016


Com 39 anos de operação, a Bacia de Campos alcançou, em 2015, uma produção média mensal de 1,488 milhão de barris por dia (bpd), representando 70% da produção nacional de petróleo da Petrobras. Resultado que contribuiu para a companhia superar a meta fixada para o ano passado, de acordo com seu Plano de Negócios e Gestão. A marca nacional de 2,128 milhões bpd, atingida no período, representou alta de 4,6% diante do resultado do ano anterior e 0,15% acima dos 2,125 milhões previstos no plano de negócios da companhia. 
A eficiência operacional da Bacia de Campos atingiu 87,5% em 2015, consolidando essa província petrolífera como a maior bacia produtora do país. O índice se deve a várias frentes de produção, ressaltando-se a produção do campo de Roncador, localizado na porção fluminense da Bacia, com uma produção média de 334 mil bpd e alcançando pico diário de produção superior a 400 mil barris.
Destacam-se ainda a entrada em produção de novos poços nas plataformas P-55 e P-62 e o atingimento do pico de produção destas duas unidades em menos de 18 meses após o início das suas operações. Outro resultado a ser celebrado refere-se à estabilização da produção do Campo de Marlim, com picos diários acima de 200 mil bpd, fruto de uma eficiente gestão de Reservatórios e dos resultados do Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef), que proporcionaram também a manutenção dos sistemas de injeção de água, resultando em um menor declínio de produção do campo.
Nos últimos cinco anos, entraram em produção nove unidades na Bacia de Campos: P-57 e FPSO Capixaba (2010), P-56 (2011), FPSO Cidade de Anchieta (2012), P-63 e P-55 (2013), P-58 e P-62 (2014) e P-61 (2015), que continuarão contribuindo para o crescimento da produção da Petrobras. Também estão sendo desenvolvidos projetos de interligação de novos poços produtores e injetores às unidades existentes, para as quais são previstas campanhas de revitalização e de manutenção, com  utilização de Unidades de Manutenção e Segurança (UMSs).
Com cerca de 100 mil quilômetros quadrados e estendendo-se do estado do Espírito Santo, nas imediações da cidade de Vitória, até Arraial do Cabo, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro, a Bacia de Campos tornou-se a principal área sedimentar já explorada na costa brasileira, com produção em águas profundas e rasas, no pós e no pré-sal. Atualmente, 54 plataformas fixas e flutuantes operam na Bacia de Campos. 
 Reportagem: 
Fonte Ascom

Postar um comentário

Bate-Papo vermelhô

Compartilhe

 
Top