Via 247 em 08/12/2015
"Entendi como uma agressão ao governo e à Presidente Dilma as indicações dos Deputados Eduardo Bolsonaro e Marco Feliciano, como membros titulares da Comissão que vai analisar o Impeachment; dois parlamentares que ultrapassam os limites da política, beirando o ódio ao nosso governo e à Presidente Dilma; a oposição brasileira passou de todos os limites de convivência democrática; não vai ter impeachment", disse o deputado Silvio Costa 
O Deputado Silvio Costa, um dos vice-líderes do governo, se posicionou contra a adesão do seu partido no golpe contra o governo Dilma Rousseff e disse que vai deixar o PSC. Leia na nota divulgada pelo parlamentar: 
Comunicado à imprensa:
Comunico que me desfiliei do Partido Social Cristão - PSC, porque não é possível continuar em um partido conivente com um dos maiores ataques às instituições democráticas já realizados no Brasil, que foi o pedido de Impeachment acatado pelo Presidente da Câmara Eduardo Cunha.
Um deputado desqualificado, que está tentando assaltar um mandato de uma Presidente digna e que lutou pela democracia em nosso país.
Entendi como uma agressão ao governo e à Presidente Dilma as indicações dos Deputados Eduardo Bolsonaro e Marco Feliciano, como membros titulares da Comissão que vai analisar o Impeachment. Dois parlamentares que ultrapassam os limites da política, beirando o ódio ao nosso governo e à Presidente Dilma.
A oposição brasileira passou de todos os limites de convivência democrática. Não vai ter impeachment.
SILVIO COSTA
Deputado Federal

Postar um comentário

Bate-Papo vermelhô

Compartilhe

 
Top