Por Bolchê

Romário se ofendeu por ter sido chamado de palhaço em uma foto postada com Tiririca. Então, baixinho respondeu como um Senador da República - República que ele ajudou a destruir - deve responder: "Palhaço é o c. da sua mãe, fdp"! Eu só queria dizer ao "nobre" senador, que essa pecha e essa conotação pejorativa emprestadas à palavra palhaço são muito injustas, são descabidas, e não faço ideia de quem foi o primeiro idiota a chamar de palhaço alguém que se pretendia ofender.

Palhaço é uma coisa linda. É sinônimo de alegria, de leveza, o lúdico inocente que arrebata crianças e adultos com os risos mais puros e belos que se pode ver, enfim, é um nome bonito demais pra você e seu amigo, Romário.

Romário, embora você devesse ter encarado como um grande, um enorme elogio esse belo "pronome de tratamento" dirigido a V. Excia, entendo que realmente o leitor se equivocou. Depois que deixou o futebol, atividade em que realmente foi brilhante, e enveredou-se pelo terreno pantanoso e sombrio da política, você, certamente, não merece ser chamado de palhaço, nesse caso, essa associação é absurda e uma ofensa aos nossos maravilhosos e encantadores profissionais da alegria.

Porque, o que você faz hoje, é exatamente o contrário do que um palhaço faz, seus posicionamentos e decisões naquela que deveria ser a Casa do Povo a quem vocês deveriam representar, provocam tristeza ao invés de alegria; choro ao invés de risos e desesperança em vez de sonhos. Não existe jogo de poder, nem pressão, muito menos dinheiro que justifique destruir o futuro de uma só pessoa, imagina de uma nação inteira.

Você e seu amigo, o ex quase palhaço Tiririca, pelo que me consta, são de origem humilde, conquistaram um lugar ao sol a custa de seus talentos pessoais, isso é indiscutível, mas essa dignidade, até certo ponto, intrínseca às suas conquistas, cessa quando v. senhorias, eleitos pelo voto popular, que deveriam defender os interesses desse povo que lhes conferiu um mandato para representá-lo, optam por trabalhar para os ricos, para grandes corporações que, ao longo do tempo, só fez explorar e trair todos aqueles que confiaram em vocês, num jogo macabro e desumano pelo poder, pelo dinheiro e por um lugar especial, que parece bom, mas, onde, ao final, não haverá ar condicionado, nem luz, nem baladas.

Então, peixe, pouca escolaridade, déficit cognitivo, ausência de leitura e parco conhecimento, não tem nada, absolutamente nada a ver com fraqueza de caráter, não tornam ninguém golpista, nem traidor do povo que, de uma forma ou de outra, é a causa principal de seu sucesso e de seu amigo. Não vou pedir pra que não se esqueça disso, porque seria inútil, posto que já se esqueceu e, por sinal, bem esquecido.

Postar um comentário

Bate-Papo vermelhô

Compartilhe

 
Top