Líder mundial em tempo conectado na rede, brasileiro vai perdendo o hábito de informar-se pelos noticiários na TV; segundo pesquisa do Ibope, o Jornal Nacional, da Globo, teve sua adiência pulverizada em 12% este ano, até 31 de agosto; o mesmo aconteceu com a programação da Band e do SBT; o pior resultado ficou com o "RedeTV! News", que viu em 2013 quase metade de seu público desaparecer: - 41%; poder da internet de transmitir informações em tempo real e com imparcialidade está mudando rapidamente a correlação de forças na mídia 

18 de Setembro de 2013 às 10:47

O Brasil figura em terceiro lugar no ranking de número de usuários ativos na internet – o acesso chegou a 83,4 milhões de pessoas no segundo trimestre deste ano, 7% a mais do que no mesmo período de 2011. Mas quando o quesito é o tempo que gastam navegando na rede os internautas brasileiros são os campeões. De acordo com o Net Insight, estudo do IBOPE Media, por mês, o internauta brasileiro chega a ficar mais de 43 horas e 57 minutos, em média, conectado. Na sequência, vêm os franceses (39 horas e 23 minutos) e os alemães (37 horas e 23 minutos).

A internet ocupada hoje a principal fonte de informação para milhões de brasileiros, o que tem aniquilado a audiência da TV. Segundo recente pesquisa do Ibope, divulgada pela coluna Ooops!, de Ricardo Feltrin, praticamente todos os telejornais brasileiros tiveram uma grande queda na audiência neste ano, em comparação a 2012. O líder Jornal Nacional, da Globo, chegou a perder 12% de ibope este ano, até 31 de agosto. O mesmo aconteceu com os outros telejornais da emissora.

Os desempenhos da Band e SBT seguiram a tendência, conforme o quadro abaixo. Mas o pior resultado ficou com o "RedeTV! News", que viu este ano quase metade de seu público desaparecer - 41%. O Jornal da Record foi o único que cresceu, mas registrou alta de apenas 2%. O reflexo dessa evolução do mundo digital é a crise que acomete os grandes grupos de mídia. A RedeTV! administra sua pior crise, com uma série de demissões em consequências da má gestão realizada pelos sócios Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho nos últimos anos.

O jornalista Kennedy Alencar pediu demissão da emissora, onde apresentava, desde 2008, o programa "É Notícia''. A saúde financeira da Record, do bispo Edir Macedo, chefe da Igreja Universal do Reino de Deus, já era questionada pelo mercado no ano passado. O Grupo fechou o ano com uma quebra de R$ 200 milhões nos resultados. Quanto a Globo, a perda maior é na credibilidade.

A emissora de Roberto Marinho foi um dos alvos das manifestações de junho, que chegaram a jogar até fezes nas sedes da TV. Entre as causas dos protestos, uma conta de R$ 713 milhões por sonegação ao Fisco federal, por mudanças suspeitas na formação societária das empresas do grupo. Saiba mais no quadro:


Postar um comentário

Bate-Papo vermelhô

Compartilhe

 
Top