Agora não tem mais jeito. O senador Aécio Neves (PSDB) terá que responder inquérito para investigar sua suposta participação no esquema de corrupção chamado Lista de Furnas. É questão de dias ou semanas para a abertura de um inquérito.

O Procurador-Geral da República Rodrigo Janot recebeu em audiência deputados do PT que encaminharam provas sobre a Lista de Furnas suficientes para abrir a investigação sobre o senador tucano.

O doleiro Alberto Youssef, em delação premiada, disse que Aécio e o falecido deputado José Janene (PP-PR) rachavam propinas vindas de uma diretoria de Furnas.

Em um primeiro instante, Janot arquivou a investigação sobre Aécio alegando que Youssef apenas ouviu falar.

Mas os deputados mineiros do PT, Rogério Correia, Padre João e Adelmo Leão levaram a Janot robustas provas da Lista de Furnas que resultou em uma denúncia pelo Ministério Público Federal do Rio de Janeiro para pessoas sem foro privilegiado (ou seja, sem os tucanos gordos).

Janot estranhou a Lista de Furnas, com tantos nomes de parlamentares com fôro privilegiado, não ter chegado à Procuradoria Geral da República antes.

Em que pasta errada ficou engavetada?

Postar um comentário

Bate-Papo vermelhô

Compartilhe

 
Top